Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

Granjinha/Cando

e Vale de Anta... factos, estórias e história.

Festas da Cidade !

08
Jul12

                                                                                                                

“Festas da cidade”

 

-8 de JULHO (?!)-

 

 

A VERDADEIRA FESTA DA CIDADE são «OS SANTOS»!

 

Aí, sim!

 

Aí se congregam todos os argumentos que dão corpo a uma FESTA DA CIDADE!

 

CHAVES não é só o Largo Camões dos “faz-que-fazem” e dos arrabaldes que lhes convêm.

 

CHAVES é um verdadeiro símbolo de uma REGIÃO que há muito deveria ser reconhecida política, histórica, jurídica e administrativamente como tal   -

 

- A NORMANDIA TAMEGANA!

 

A sua Identidade é distinta e inquestionável.

 

Não tivesse estado nas guedelhas de uns burgessos, que em vez de promoverem a unidade e a coesão Regional, armam-se em «maiores» por serem edis na cidade e tratando por «menores» os pares dos outros Concelhos que são parte importante  - e nunca menos importante que a Cidade  - dessa Identidade Regional, e hoje haveria outras COMEMORAÇÕES.

 

Uns «pichotes» politicastras a darem-se ares de políticos, e que nem sequer se lembram (será que algum dia o souberam?!) do primeiro parágrafo da Declaração de Princípios, ou dos Estatutos, do Partido Político pelo qual se passam a histéricos, lá vão ocupando aqueles lugarzecos onde apenas aprendem a conjugar o Verbo governar-se (sim, governar, na forma reflexiva) e só, somente e exclusivamente na primeira (1ª) pessoa do Presente do Indicativo. Lá para o final do mandato já sabem  - e só  sabem  - conjugá-lo na primeira (1ª) Pessoa do  Pretérito Perfeito (Perfeitíssimo)!

 

Claro que das Grandes Promessas do seu Programa Eleitoral já ninguém se lembra   - muito menos eles!

 

E querem lá saber (alguma vez souberam?!) da “SENHORA das BROTAS”!

 

E saberão lá eles que em 12 de Março de 1929 Chaves passou de Vila a Cidade!

 

Numa época em que por falta de outras capacidades, os deputados e os putativos «ardorosos defensores da sua terra» espumam de raivosa vaidade para ganhar direito a pôr nas placas, nos anúncios e nos rodapés da Necrologia….«cidade de…», os beato – políticos de Chaves arrenegam os principais acontecimentos e tradições da NOSSA TERRA!

 

Aproveitam, mal e porcamente, todas as “pentelhices” para fazerem o papel de «cromos».

 

Desempenham os seus lugares como figurantes convencidos, em episódios de tele-novela.

 

Envergonham santos e diabos.

 

Mal-chegados a «dez réis de figura de gente», não passam de

 

B  I M B O S!

 

Luís Fernandes


 

1 comentário

Comentar post